Voltar ao topo
image/svg+xml

PEC dos precatórios no Senado na agenda das seguradoras

Dados fracos de setembro pressionam a projeção mediana para o PIB em 2021, que caiu de 4,88% para 4,80%, abaixo do carregamento estatístico

22 de Novembro de 2021 - Expectativas Econômicas

As projeções de indicadores macroeconômicos divulgadas pelo Boletim Focus seguem em tendência negativa e mostram que a mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021 caiu de 4,88% para 4,80% e para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do país, alcançou 10,12%. “Além de dados negativos com o IBC-Br, o mercado também reagiu mal à possibilidade de que parte do espaço fiscal criado com a PEC dos Precatórios possa ser utilizado para reajustar salário de servidores, o que pressionaria ainda mais a trajetória fiscal”, avalia Pedro Simões, do Comitê de Estudos de Mercado da CNseg, a Confederação Nacional das Seguradoras. 

Segundo o economista, o mercado já projeta, para este ano, um crescimento do PIB abaixo do crescimento do que já seria garantido pelo carregamento estatístico derivado do desempenho do PIB no primeiro semestre do ano, que é de 4,87%. “Isto é, a mediana do mercado já embute projeções de queda do PIB no segundo semestre; o que não surpreende, considerando os resultados negativos no período de três meses encerrados em setembro”, acrescenta. 

Simões também destaca a projeção mediana para a inflação oficial em 2021, que subiu pela 33ª semana consecutiva, de 9,77% para 10,12%. Para 2022, também subiu, de 4,79% para 4,96%, permanecendo desancoradas das metas em 2023 e 2024. “Com esses movimentos, vem crescendo no mercado a sensação de urgência quanto a uma resposta ainda mais forte do Banco Central para conter as pressões. Assim, apesar de o ponto-médio das expectativas para a taxa Selic ter sido mantido em 9,25% ao fim de 2021, a projeção mediana subiu de 11,00% para 11,25% ao final de 2022”. 

As únicas boas notícias nesse front, diz Simões, são os primeiros sinais, vindos dos EUA e da China, de que os gargalos nas cadeias globais de produção – que vêm pressionando preços de bens em todo mundo – começam a arrefecer. 

Leia a íntegra do boletim Acompanhamento de Expectativas Econômicas semanal feito pela Superintendência de Estudos e Projetos (Suesp) da CNseg..

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS

© Copyright - CNseg

© Copyright - FenSeg

© Copyright - FenaPrevi

© Copyright - FenaSaúde

© Copyright - FenaCap

© Copyright - Educação em Seguros

© Copyright - Poder Público